eletricidade

Definições


Países OECD

Os países membros da OECD são: Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, República Tcheca, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Japão, Coréia, Luxemburgo, México, Holanda, Nova Zelândia, Noruega, Polônia, Portugal, Eslováquia, Espanha, Suécia, Suiça, Turquia, Reino Unido, EUA. Destes 30 países, apenas Islândia e México não pertencem a IEA.


Fóssil

[Do fr. fossile < lat. fossile, ‘tirado da terra’.] Substantivo masculino.

1.Paleont. Vestígio ou resto petrificado ou endurecido de seres vivos que habitaram a Terra antes do holoceno e que se conservaram em depósitos sedimentares da crosta terrestre sem perder as características essenciais.

2.Fig. Deprec. Indivíduo retrógrado, antiquado. Adjetivo de dois gêneros.

3.Diz-se de, ou pertencente ou relativo a fóssil (1): animal fóssil; carvão fóssil. [Pl.: fósseis. Cf. fosseis, do v. fossar, e fôsseis, dos v. ir e ser.] ~ V. índice —.

Fonte: Aurélio

Relatório Mensal de Eletricidade


O relatório estatístico mensal da Agência Internacional de Energia sobre eletricidade fornece importantes informações.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Capítulos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eletricidade


A eletricidade é a fonte de uso final que mais cresce no mundo. A razão disso é a sua versatilidade em poder ser transformada em calor, luz, movimento e ser indispensável à todos os equipamentos eletrônicos.

O Índice de Desenvolvimento Humano - IDH - está intimamente relacionado ao uso da eletricidade.

Fontes Primárias na Geração de Energia Elétrica


A figura abaixo mostra a matriz energética da geração de energia elétrica no mundo.

Observa-se que o carvão é responsável por 41% da eletricidade gerada no mundo e sua participação cresceu nos últimos 38 anos apesar de todo o esforço ambiental em reduzir as emissões.

A explicação disso foi a redução da participação dos derivados de petróleo na geração de eletricidade. No entanto, a participação dos combustíveis fósseis somados (petróleo, carvão e gás) diminuiu apenas de 75% para 68%.

A grande questão é: Quais as fontes que substituirão os combustíveis fósseis nos próximos 20 anos?

Observa-se que, caso sejam mantidas as políticas energéticas atuais, a participação dos combustíveis fósseis na geração de energia elétrica será reduzida em apenas 3%. Contudo, para que isto seja possível, a participação das fontes alternativas deverá aumentar de 4.5% para 11%.

Para limitar o aquecimento global em dois graus centígrados é necessário, segundo os ambientalistas, limitar a concentração de CO2 em 450 ppm.

Por isso, esse cenário é chamado de Cenário 450 e para atingí-lo, segundo a IEA, é necessário reduzir pela metade a participação dos combustíveis fósseis na geração de eletricidade a partir dos níveis atuais.

Para que isto seja possível:

  • a participação da hidreletricidade deverá aumentar 44%;
  • a participação da energia nuclear deverá aumentar 84%;
  • a participação das fontes alternativas deverá aumentar 146%.

Portanto, o Cenário 450 representa um desafio extremamente difícil de ser alcançado com as tecnologias atualmente disponíveis.

Do ponto de vista de tecnologia de equipamentos para geração, as termelétricas são responsáveis por 88% da eletricidade gerada no mundo e, mesmo no Cenário 450, serão responsáveis por mais da metade da energia elétrica gerada nos próximos 20 anos.

Geração de Eletricidade por Região no Mundo


A geração de eletricidade continua concentrada nos países desenvolvidos pertencentes à OECD, apesar do crescimento relativo das outras regiões, conforme mostra a figura abaixo.

A China se destaca pelo crescimento e já é responsável por mais de20% da eletricidade gerada no planeta.

Portanto, do ponto de vista de impacto ambiental provocado pela geração de eletricidade, os países da OECD são os maiores responsáveis.

Maiores Produtores de Eletricidade


A figura abaixo apresenta os 10 maiores países produtores de eletricidade no mundo.

Os EUA e a China são responsáveis por cerca de 40% da energia elétrica produzida e, pela primeira vez na história, a China passou a ser o maior produtor de eletricidade do mundo.

O Brasil é o nono maior produtor e, entre os BRICs, está em último.

A figura abaixo mostra a matriz energética dos principais produtores de eletricidade da geração de energia elétrica.

Observa-se que, com exceção do Brasil, França e Canadá, todos os maiores produtores de eletricidade dependem dos combustíveis fósseis.

Além disso, apenas Brasil e Canadá possuem dependência importante da hidreletricidade. A França, por sua vez, não depende dos combustíveis fósseis porque utiliza primordialmente a energia nuclear na geração de energia elétrica.

 

Crescimento na Geração de Energia


O crescimento histórico da geração de energia elétrica no mundo entre 1973 e 2011 foi, segundo a IEA, de 3,4% ao ano.

A figura abaixo mostra as taxas de crescimentos médio anual das diversas regiões do mundo por fonte primária entre 1973 e 2011.

Observa-se que a geração a óleo diminuiu em todo o mundo e a fonte Outros foi a que mais cresceu em todas as regiões. Mas, que fonte foi essa que cresceu muito acima das outras?

 

O gráfico abaixo apresenta o crescimento previsto na geração de energia elétrica em alguns dos principais produtores de eletricidade no período de 2012 a 2035.

A China lidera disparadamente o crescimento da geração nos próximos 23 anos com uma média anual de 65 GW/ano.

Este crescimento representa a construção de 5 usinas equivalentes a Itaipu por ano durante os próximos 23 anos!!!!!

Com a crise econômica mundial, os EUA passou para o teceiro lugar com crescimento previsto de 18 GW por ano.

A Índia subiu para o segundo lugar com crescimento de 31 GW por ano.

O Brasil aparece em último neste grupo com o crescimento estimado 7,2 GW/ano. Isto representa uma nova Itaipu a cada 2 anos!

A grande questão é: estes índices de crescimento poderão se mantidos?

Maiores Exportadores


A figura abaixo apresenta os 10 maiores exportadores de energia elétrica.

Devido à crise econômica que se abateu no mundo em 2008, a França e a Alemanha deixaram de ser os maiores exportadores e o Paraguai assumiu a posição. Itaipu é a razão da posição de destaque do Paraguai mas, como não deverão existir novas usinas de grande porte no Paraguai, esta posição deverá diminuir no futuro.

No entanto, a partir de 2011, a França voltou a ser o maior exportador de eletricidade do mundo. A Alemanha, que se encontrava em primeiro lugar antes da crise financeira de 2008, foi ultrapassada pela França e deixou de estar entre os 10 maiores exportadores em 2011.

Bulgaria e Emirados Árabes continuam na lista e a Suécia e a Ucrania voltaram.

 

Maiores Importadores


A figura abaixo apresenta os 10 maiores importadores de energia elétrica no mundo.

A Itália é o maior importador.

O Brasil, que anteriormente era o segundo maior importador, perdeu a posição para os EUA.

Esta modificação pode ser explicada pela recuperação econômica dos EUA associado ao menor crescimento brasileiro.

A Argentina permanece nesta lista em decorrência da redução na produção de gás natural ocasionada por problemas econômicos e políticos.

A Noruega deixou a lista e deu lugar para a Finlândia. Esta mudança é decorrente da matriz hidrelétrica da Noruega que, em anos secos importa energia das vizinhas Finlândia e Suécia e, em anos úmidos, exporta.